Outras Notícias

Cimeira das Américas

  •  

    Divulgamos entrevista com Socorro Gomes, presidente do Conselho Mundial da Paz que participou, no Panamá, da Cimeira dos Povos e na Cimeira das Américas.

    "Cúpula das Américas fortalece luta por soberania dos países da região

    A Cúpula das Américas, realizada entre os dias 9 e 11 de abril, no Panamá, entrou para a história como o primeiro fórum dos últimos 50 anos a contar com todos os países do continente, incluindo Cuba.

    A ilha desenvolve negociações para uma aproximação diplomática com os EUA e esteve no centro das discussões durante o encontro e também ao longo da Cúpula dos Povos, reunião que ocorreu paralelamente, na capital panamenha.

    A presidenta do Conselho Mundial da Paz e do Centro Brasileiros de Solidariedade aos Povos e e Luta pela Paz (Cebrapaz), Socorro Gomes, esteve nas duas cúpulas e conta como foi a interação cubana com as outras nações.

    Segundo ela, outros temas importantes como as sanções contra a Venezuela, o problema de ingerências estrangeiras em assuntos internos e o apoio à luta contra o colonialismo, no caso de Porto Rico, também tiveram muito destaque.

  • A Cimeira das Américas decorre dias 10 e 11 de Abril, no Panamá, e conta, pela primeira vez com a participação de Cuba.
    Socorro Gomes, Presidente do Conselho Mundial da Paz, que participa nos fóruns que decorrem na Cidade do Panamá nos dias que antecedem esta Cimeira, afirma que “Os EUA ficaram isolados na questão da participação de Cuba. A OEA (Organização dos Estados Americanos) tem servido como uma espécie de instrumento de domínio dos EUA na região”, acrescentando que “Os povos disseram em alto e bom tom que não aceitam nenhuma reunião continental sem a presença de Cuba”.

    Em grande destaque nesta Cimeira estará ainda a República Bolivariana da Venezuela, confrontada recentemente com um inaceitável decreto do Presidente norte-americano onde é classificada como uma «ameaça à segurança dos EUA».
    A Venezuela anunciou que irá apresentar nesta Cimeira os muitos milhões de assinaturas recolhidas na campanha internacional pela revogação imediata do decreto do Presidente Obama contra a República Bolivariana da Venezuela – um abaixo-assinado que em Portugal foi apoiado pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) que, como outras diversas organizações, promoveu a recolha de assinaturas.

    O CPPC expressa a sua solidariedade com Cuba - que é vítima do bloqueio e ingerência dos EUA -, assim como com a Venezuela - vítima da ingerência dos EUA -, e com todos os povos e países da América latina e das Caraíbas que afirmam a sua soberania e independência nacional, que afirmam o direito de decidir do seu futuro.

    O CPPC saúda a acção dos movimentos da paz de Cuba e da Venezuela, assim como de outros países da América Latina, no quadro da realização desta Cimeira, desejando que este seja um momento de fortalecimento da luta pela paz.